Mudas de tamarindeiro em função de tamanhos de recipiente e níveis de vermiculita

Autores

  • César Antônio da Silva Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
  • Marcelo Sales de Almeida Universidade Federal de Uberlândia
  • Berildo de Melo Universidade Federal de Uberlândia
  • Cícero José da Silva Instituto Federal Goiano - Campus Morrinhos

DOI:

https://doi.org/10.35818/acta.v8i1.89

Palavras-chave:

Tamarindus indica L., substrato, matéria seca, sistema radicular

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desenvolvimento de mudas de tamarindeiro (Tamarindus indica L.) em função de tamanhos de recipiente e níveis de vermiculita no substrato. O experimento foi conduzido em viveiro telado, na Fazenda Experimental Água Limpa, município de Uberlândia, Minas Gerais, no período de dezembro 2006 a junho 2007. O delineamento experimental foi inteiramente ao acaso, em esquema fatorial 3 x 3, com cinco repetições e cinco mudas por parcela. O primeiro fator foi constituído de três tamanhos de recipiente (18 x 30 cm, e 3.094 cm3; 20 x 25 cm, e 3.183 cm3; 25 x 35 cm, e 6.963 cm3), e o segundo, de três níveis de vermiculita (0, 10% e 20% do volume dos recipientes), adicionados ao substrato Bioplant®. Na semeadura, foram colocadas três sementes em cada recipiente, a 1,0 cm de profundidade, fazendo posterior desbaste. As irrigações foram realizadas diariamente, mantendo o substrato na umidade de “capacidade de campo”. Aos 160 dias após a semeadura, foram avaliados: a altura, o diâmetro de caule, o número de folhas, o comprimento da raiz principal, as massas de matéria seca de raízes e da parte aérea das mudas. O recipiente de 18 x 30 cm, de menor volume, foi mais propício à produção de mudas de tamarindeiro. O acréscimo de 20% de vermiculita no substrato proporcionou mudas mais vigorosas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

21 de maio de 2013

Como Citar

SILVA, C. A. da; ALMEIDA, M. S. de; MELO, B. de; SILVA, C. J. da. Mudas de tamarindeiro em função de tamanhos de recipiente e níveis de vermiculita. Acta Tecnológica, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 5–11, 2013. DOI: 10.35818/acta.v8i1.89. Disponível em: https://periodicos.ifma.edu.br/actatecnologica/article/view/89. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos