OS TRANSTORNOS CAUSADOS PELO AUMENTO DO LIXO NA CIDADE TURÍSTICA DE CAROLINA – MARANHÃO

Autores

  • Leonardo Oliveira da Silva Coelho IFMA Carolina
  • Willams Rodrigues Jácome IFMA Campus Carolina
  • Louize Nascimento IFMA Carolina
  • Rogério Taygra Vasconcelos Fernandes UFERSA
  • Jônnata Fernandes de Oliveira Instituto Federal do Maranhão, campus Carolina

DOI:

https://doi.org/10.35818/acta.v16i1.890

Palavras-chave:

Meio Ambiente, Poluição, Resíduos Sólidos.

Resumo

Existe uma relação direta entre a densidade populacional e o lixo produzido, isto é, na medida em que a população aumenta, a produção de lixo urbano também é elevada, o que acarreta inúmeros problemas para a comunidade. Nesse contexto, considerando que a cidade de Carolina, localizada no estado do Maranhão, é o principal polo do turísmo do Parque Nacional da Chapada das Mesas, torna-se importante avaliar a problemática do lixo neste município. A pesquisa de campo ocorreu por meio de um questionário com perguntas fechadas para os moradores locais, que responderam sobre o descarte do lixo que produzem. O objetivo foi verificar os impactos que o lixo causa na vida dos moradores da cidade de Carolina, Maranhão. Os resultados mostraram que a população, apesar de reconhecer a importância deste problema, não tem conhecimento de como deve ser feito o descarte adequado do lixo produzido. Os resultados deste estudo poderão servir como base para conscientizar a população a respeito dos seus deveres e obrigações, com relação à destinação do lixo produzido. É uma discussão muito importante para o meio ambiente local, pois se trata de criar formas de estimular o turismo sem que este prejudique os atrativos naturais, além de prevenir a população de doenças associadas a este tipo de agressão ambiental.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leonardo Oliveira da Silva Coelho, IFMA Carolina

Mestre em Sociologia

Willams Rodrigues Jácome, IFMA Campus Carolina

Técnico em Meio Ambiente

Louize Nascimento, IFMA Carolina

Mestra em Manejo de Solo e Água

Rogério Taygra Vasconcelos Fernandes, UFERSA

Doutor em Ciência Animal

Jônnata Fernandes de Oliveira, Instituto Federal do Maranhão, campus Carolina

Graduado em Ciências Biológicas e Mestre em Ciências Naturais (Linha de Pesquisa: Diagnóstico e Conservação Ambiental) pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN. Doutor em Ciência Animal (Linha de Pesquisa: Produção e Conservação Animal no Semiárido) pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA. Pós-Doutorado na área de Ciências Ambientais pela UERN. Atualmente é Professor do Instituto Federal do Maranhão.

Referências

ALMEIDA JR, R. A.; AMARAL, S. P. Lixo urbano, um velho problema atual. XIII Simpósio Internacional de Administração, p. 1-7, 2006.

ARAÚJO, J. E. B.; LIMA, T. L. S., SOUSA, A. K. dos S., SALES, R. M. M. Percepção sobre educação ambiental e política dos 3R’S dos estudantes de escola pública no município de Pombal-PB. Revista Brasileira de Gestão Ambiental, v. 12, n. 3, p. 28-33, 2018.

BRASIL. DECRETO DE 31 DE JANEIRO DE 2006. Cria o Parque Nacional da Chapada das Mesas, nos Municípios de Carolina, Riachão e Estreito, no Estado do Maranhão, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Dnn/Dnn10718.htm>. Acesso em: 24 jul. 2020.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. O que é o Princípio dos 3R's? Disponível em: <https://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/producao-e-consumo sustentavel/consumo-consciente-de-embalagem/principio-dos-3rs.html>. Acesso em: 20 jul. 2020.

FERREIRA, J. A.; ANJOS, L. A. Aspectos de saúde coletiva e ocupacional associados à gestão dos resíduos sólidos municipais. Cadernos de saúde Pública, v. 17, p. 689-696, 2001. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2001000300023

GOUVEIA, N. Saúde e meio ambiente nas cidades: os desafios da saúde ambiental. Saúde e sociedade, v. 8, p. 49-61, 1999. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12901999000100005

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População. Carolina, Maranhão. 2018. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/carolina>. Acesso em: 21 mar. 2020.

MENDES, M. B. et al. Carta da Terra e uma nova ética ambiental. Cidadania e educação ambiental na prática, p. 109, 2018.

MOURA, C. M.; BERWIG, A. Meio ambiente, cidadania e responsabilidade criminal: aspectos jurídicos da proteção ambiental. Anais Ciências Criminais, v. 1, n. 1. p. 1-14, 2019.

MUCELIN, C. A.; BELLINI, M. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & natureza, v. 20, n. 1, p. 111-124, 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S1982-45132008000100008

MUNIZ, G. P. S. Ecoturismo em Carolina - MA: que prática é essa? 2018. 203 p. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Natureza e Dinâmica do Espaço. Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, 2018.

MUNIZ, G. P. S.; DE CASTRO, C. E. A Produção do espaço e o turismo em Carolina-Maranhão, BRASIL. InterEspaço: Revista de Geografia e Interdisciplinaridade, v. 4, n. 15, p. 82-105, 2019. DOI: https://doi.org/10.18764/2446-6549.v4n15p82-105

NARDIN, M.; PROCHNIK, M.; CARVALHO, M. E. Usinas de reciclagem de lixo: aspectos sociais e viabilidade econômica. BNDES, p. 271-289, 2002.

OPAS/BRASIL – Organização Pan Americana de Saúde. ONU, Meio Ambiente e OMS concordam em colaborar para conter riscos ambientais para a saúde. 2018. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5576:onu-meio-ambiente-e-oms-concordam-em-colaborar-para-conter-os-riscos-ambientais-para-a-saude&Itemid=839>. Acesso em: 20 jul. 2020.

OTT, C. Gestão pública e políticas urbanas para cidades sustentáveis: a ética da legislação no meio urbano aplicada às cidades com até 50.000 habitantes. 2004. 198 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAROLINA/MA. Recebimento das Estações de Tratamento de Esgoto de Carolina. 2019. Disponível em: <https://carolina.ma.gov.br/noticias/noticias/exibe/0016841-recebimento-das-estacoes-de-tratamento-de-esgoto-de-carolina>. Acesso em 27.01.2021.

PEREIRA NETO, J. T. Um sistema de reciclagem e compostagem, de baixo custo, de lixo urbano para países em desenvolvimento. Viçosa: UFV, 1995. 16p. (UFV. Conselho de Extensão. Informe Técnico, 74). 1995.

RIBEIRO, T. F.; CARMO LIMA, Samuel. Coleta seletiva de lixo domiciliar-estudo de casos. Caminhos de geografia, v. 2, n. 2, 2000.

SALGADO, M. F. de M. A.; CANTARINO, Anderson Américo Alves. A riqueza do lixo. XIII Simpósio de Engenharia de, 2006.

SANTOS, D. S. Viability of the exploitation of the urban garbage of the energy city of Maceió as alternative. 2009. 112 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento sustentável Regional) - Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2009.

SILVA, A. R.; AGUILAR-FILHO, H. A. Democracia e sociedade de mercado. Revista de Economia do Centro-Oeste, v. 5, n. 2, p. 24-37, 2019. DOI: https://doi.org/10.5216/reoeste.v5i2.60913

SILVA, E. R. A gestão do “lixo” e seus reflexos na construção de cidades sustentáveis. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM, v. 8, n. 2, p. 311-332, 2013. DOI: https://doi.org/10.5902/1981369410539

SILVA, L.; PAULA, S. M. Lixo urbano, população e saúde: um desafio. Nucleus, v. 8, n. 1, p. 1-12, 2011. DOI: https://doi.org/10.3738/1982.2278.509

SIQUEIRA, M. M.; MORAES, M. S. Saúde coletiva, resíduos sólidos urbanos e os catadores de lixo. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, p. 2115-2122, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000600018

SOARES, F. M., GONÇALVES, A. B. C., ALVIM, R. O., MOURÃO JÚNIOR, C. A. M.; OLIVEIRA, C. M. Conscientização infantil: abordagem lúdica sobre utilização de recursos naturais. Revista Ciência em Extensão, v. 13, n. 3, p. 87-92, 2017.

VELLOSO, M. P.; SANTOS, E. M. dos; ANJOS, L. A. dos. Processo de trabalho e acidentes de trabalho em coletores de lixo domiciliar na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 13, p. 693-700, 1997. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-311X1997000400012

Downloads

Publicado

24.07.2021

Como Citar

SILVA COELHO, . O. da; JÁCOME, . R.; NASCIMENTO, .; FERNANDES, . T. V.; OLIVEIRA, . F. de. OS TRANSTORNOS CAUSADOS PELO AUMENTO DO LIXO NA CIDADE TURÍSTICA DE CAROLINA – MARANHÃO. Acta Tecnológica, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 11–23, 2021. DOI: 10.35818/acta.v16i1.890. Disponível em: https://periodicos.ifma.edu.br/actatecnologica/article/view/890. Acesso em: 28 nov. 2021.