A indústria canavieira em Aldeias Altas e São Raimundo das Mangabeiras.

Autores

  • Stefan Hubertus Dorner IFMA
  • Jandir Ferrera de Lima Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

DOI:

https://doi.org/10.35818/acta.v10i1.260

Palavras-chave:

Economia regional, desenvolvimento econômico, economia urbana, Maranhão

Resumo

Este artigo analisa os impactos da indústria canavieira no desenvolvimento econômico dos municípios de Aldeias Altas e São Raimundo das Mangabeiras, localizados no Estado do Maranhão. Utilizou-se como referencial a Teoria dos Polos de Crescimento de Perroux, em particular a força da unidade motriz e seus efeitos de encadeamento para trás e para frente calculando o quociente de localização e regressões lineares simples com uma variável dummy representando anos de ausência e presença da unidade motriz. O Quociente Locacional indicou especialização na indústria de transformação nos dois municípios. Enquanto os resultados da regressão mostraram influência significativa da unidade motriz no município de Aldeias Altas sobre o PIB e os estabelecimentos comerciais, não foi constatada influência significativa da unidade motriz em São Raimundo das Mangabeiras sobre as variáveis analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Stefan Hubertus Dorner, IFMA

Professor de Agronegócio/Economia Rural (IFMA), experiência em economia (agronegócio e economia rural), administração (logística e comércio exterior).

Jandir Ferrera de Lima, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

PhD em Desenvolvimento Regional pela Universidade do Quebec (Canadá). Professor do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Regional e Agronegócio da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), da Fundação Araucária (PR), do CRDT/Canadá e do GEPEC/UNIOESTE. E-mail: [email protected] ou [email protected]

Referências

CABRAL, M.S.C. Caminhos do gado: conquista e ocupação do sul do Maranhão. São Luís: Edições SECMA, 1992.

COELHO NETO, E. História do sul do Maranhão: terra, vida, homens e acontecimentos. Belo Horizonte: Editora São Vicente, 1979.

DALLABRIDA, V.R. Desenvolvimento regional: por que algumas regiões se desenvolvem e outras não? 1. ed. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2010.

BOAVENTURA, D.L. Maity e a produção de açúcar e etanol em Campestre (MA). Diário da fazenda. Edição de 6/08/2012. Disponível em: <http://www.diariodafazenda.com.br/noticias/maity-e-a-producao-de-acucar-e-etanol-em-campestre-ma> .Acesso em: 14/11/2013.

FERRERA DE LIMA, J. Notes sur les pôles de croissance et les stratégies territoriales au Québec. Revue canadienne des sciences regionales, XXVIII: 1 (printemps 2005) p. 161-171. Montreal, 2005.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. 34ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GUJARATI, D.N. Econometria básica. 5ª ed. São Paulo: Bookman, 2011.

HOLANDA, S.B. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cidades. Disponível em: <http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=210255&search=maranh%E3o|campestre-do-maranh%E3o> e http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=211160&search=maranh%E3o|s%E3o-raimundo-das-mangabeiras> . Acesso em: 10/10/2013.

Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA). Base de dados IPEADATA. Disponível em: <http://www.ipeadata.gov.br/portal/>. Acesso em 10/10/2013.

MEIRELES, M. História do comércio do Maranhão. São Luís: Lithograf – Indústria Gráfica e Editora Ltda., 1992.

MINISTÉRIO DO TRABALHO – MTE. Relação anual de informações sociais (RAIS). Disponível em: . Acesso em: 20/10/2013.

PERROUX, F. O conceito de polos de crescimento. In: SCHWARTZMAN, Jacques. Economia regional: textos escolhidos: Belo Horizonte: CEDEPLAR, 1977. P. 157-194.

PIACENTI, C.A.; FERRERA DE LIMA, J. (Org.). Análise regional: Metodologia e indicadores. Curitiba: Camões, 2012.

PINDICK, R.S.; RUBINFELD, D.L. Microeconomia. Quinta edição. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

PRADO JÚNIOR, C. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2012.

REIS, F. Grupos políticos e estrutura oligárquica no Maranhão. 2. ed. São Luís: [s.n.], 2013.

ROCHA, R.G.; MOTA, F.L. A inserção da economia maranhense no cenário nacional – o des (re) ordenamento territorial no sul do Maranhão. In: XXI ENCONTRO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA. Universidade Federal de Uberlândia. Uberlândia, 2012. Anais XXI Encontro Nacional de Geografia Agrária, Uberlândia, 2012.

SAID, A. L´intelligence économique au service des pôles de competitivité. Montréal: ANDESE / Vie & sciences de l´entreprise. 2006/1 – Nº 170 – 171, p. 175-206. Disponível em: http://www.cairn.info/revue-vie-et-sciences-de-l-entreprise-2006-1-page-175.htm> Acesso em: 05/11/2013. DOI: https://doi.org/10.3917/vse.170.0175

SOUZA, E.C.; SHIKIDA, P.F.A. Impactos da agroindústria canavieira sobre o crescimento econômico local: Um estudo de caso. In: XLV CONGRESSO DA SOBER. LONDRINA, 2007. Anais XLV Congresso da Sober. Londrina-PR: Sober, 2007.

VIVEIROS, J. História do comércio do Maranhão. 1612-1895. 1º e 2º volume. São Luís: Lithograf – Indústria Gráfica e Editora Ltda., 1992.

_________. História do comércio do Maranhão. 1896-1934. 3º volume. São Luís: Lithograf – Indústria Gráfica e Editora Ltda., 1992.

Downloads

Publicado

28 de outubro de 2015

Como Citar

DORNER, S. H.; DE LIMA, J. F. A indústria canavieira em Aldeias Altas e São Raimundo das Mangabeiras. Acta Tecnológica, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 66–72, 2015. DOI: 10.35818/acta.v10i1.260. Disponível em: https://periodicos.ifma.edu.br/actatecnologica/article/view/260. Acesso em: 26 set. 2022.